sexta-feira, 2 de junho de 2017

Entrevista: The Unity

Michael Ehre (bateria) e Henjo Richter (guitarras) são ambos músicos altamente conceituados e atualmente estão nos Gamma Ray. Mas juntos resolveram criar os The Unity com alguns membros que já haviam tocado com o primeiro nos Love.Migh.Kill. Um projeto que, promete Michael, não se resumirá a um álbum só e que é muito mais que um a simples superbanda.

Olá Michael, como estás? Para começarmos, podes apresentar esta nova entidade The Unity?
The Unity é uma nova banda fundada por Henjo Richter e por mim. Lançamos o nosso álbum de estreia no início de maio.

De que forma se deu o nascimento desse projeto? Quando surgiu a ideia?
Quando entrei nos Gamma Ray em 2012, Henjo e eu descobrimos que temos as mesmas raízes e influências musicais. Depois de algum tempo decidimos formar uma nova banda para além dos Gamma Ray. Mesmo que os Gamma Ray sejam uma banda bem-sucedida, há muito tempo para fazer outras coisas na vida. Mesmo Kai e Dirk têm outros projetos, como, por exemplo, Unisonic ou Neopera. Para completar a nossa banda, chamei os elementos dos Love.Might.Kill, que criei em 2010. Conhecemo-nos há tanto tempo, que sabíamos que isso funcionaria.

Portanto, mesmo vindo de bandas diferentes a química esteve muito presente atendendo a excelência do trabalho apresentado...
Sim, é verdade. Como disse: conhecemo-nos muito antes de fundarmos os The Unity. Concordo totalmente: pode ouvir-se as grandes vibrações que tivemos quando produzimos e gravamos o álbum.

Daí o nome The Unity... apesar de tudo, aqui não há individualidades, apenas um coletivo unido, certo?
Essa é a ideia por trás do nome. Nós compusemos e produzimos o álbum juntos. Quero dizer, cada um de nós mantém a sua individualidade com interesses próprios, mas fazemos uma união forte.

Aparentemente foram 18 meses a trabalhar para este álbum. Foram as agendas individuais que determinaram isso, ou foi mesmo a disposição para trabalhar todos os detalhes até ao mais ínfimo pormenor?
Hoje em dia, o mercado da música está cheio de bandas e projetos. Todos os meses, um número incontável de álbuns são lançados. Muitos músicos tocam em bandas diferentes, alguns parecem tocar em cada segundo álbum, (risos)... Entendo isso porque o negócio é como é. Nós não queríamos ser um desses inúmeros lançamentos ou projetos, queríamos algo especial, por isso trabalhamos tão duro no álbum.

Mas todos os membros dos The Unity ainda estão ligados a outras bandas ou não?
Só eu e Henjo é que estamos nos Gamma Ray.

No entanto, agora a prioridade é toda para The Unity. A questão que se coloca é se este projeto vai continuar, se vai haver mais álbuns.
Sim, definitivamente haverá mais álbuns. A nossa ideia era formar uma nova banda, não um "projeto de um álbum", por isso trabalhamos tão forte no primeiro. Já estamos a planear o próximo disco, mas não te posso contar nenhum detalhe por agora.

Foquemo-nos agora neste álbum, um disco de excelente qualidade e grande dinamismo. Como foi o processo de composição?
Esse foi um processo realmente emocionante. Todos na banda foram bem-vindos para trazer tantas ideias quanto possível. Recolhemos todas as ideias e demos diferentes e procuramos o melhor para trabalhar nelas. Às vezes, a ideia era apenas um riff de guitarra, outras vezes apenas uma melodia vocal. É sempre muito gratificante ver como pequenas ideias evoluem para uma música completa.

Claramente estavam numa fase muito inspirada. É muito talento ou muito trabalho? Que percentagem para cada uma dessas facetas?
Ser músico ou ter uma banda é sempre um trabalho muito duro. Sim, é sempre bom ter pelo menos um pouco de talento, mas a maior parte para se ser "bem-sucedido" ou, vamos dizer, ter uma carreira satisfatória é suar e trabalhar arduamente. É difícil falar em percentagens, mas diria que é 90% de trabalho árduo e 10% de talento.

E a seguir? Que projetos estão previstos para os The Unity?
Depois de termos terminado a nossa tournée com os Sinner, vamos fazer alguns festivais antes de irmos novamente para a estrada no outono. Infelizmente, não te posso contar nenhum pormenor por agora, mas será ótimo!

Muito obrigado Michael, queres acrescentar mais alguma coisa?
Gostaria de agradecer a todos pelo vosso interesse em The Unity! Esperamos conhecer-vos a todos numa tournée em breve!

Sem comentários: